quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Empresas de ônibus terão que pagar multa (Salvador 17/11/2009)

Assista ao vídeo desta matéria

foto: TV Bahia
Rodoviários impediram que os ônibus saíssem da garagem

As empresas que não colocaram os ônibus para rodar segunda-feira (16) de manhã, em Salvador, por causa das brigas internas na eleição do Sindicato dos Rodoviários vão ter que pagar pelo menos R$ 230 mil em multa.

A punição foi determinada nesta terça-feira (17), pela Prefeitura.

Os ônibus, hoje, circularam normalmente pelas ruas da cidade. Mas muitos passageiros não esquecem os transtornos vividos ontem. 'De manhã, cheguei no ponto e estava tudo paralisado, aí me avisaram que estava sem ônibus. Eu fiquei aguardando, tive que ligar pra minha colega pra avisar que eu ia chegar mais tarde', conta a cozinheira Ana Lemos.

'Eu pego serviço 7h e cheguei 9h. Peguei ônibus muito cheio, engarrafamento a Paralela toda', lembra a estagiária Gilvana Santos.

Ontem de manhã, um protesto por causa de disputas internas entre os rodoviários impediu que os ônibus saíssem da garagem de cinco empresas. Com isso, dos 2.400 ônibus, 600 deixaram de circular.

Foram seis horas de paralisação e milhares de passageiros prejudicados. 'Eu não concordo que eles paralisem, prejudicando os usuários por causa de eleição de candidato', reclama a comerciária Lucineide Fernandes.

Hoje, o prefeito João Henrique determinou que todas as empresas que não colocaram os ônibus nas ruas sejam punidas. De acordo com o superintendente da Transalvador, elas serão autuadas e multadas.

'Não cumprir os horários estabelecidos na ordem de serviço prevê a autuação de infração, com multa de R$ 388,32 por horário não cumprido', afirma o superintendente Matheus Moura.

Só este ano, três manifestações causadas por disputas internas entre os rodoviários terminaram prejudicando a população. A Polícia Civil abriu inquérito a pedido do Ministério Público, que pretende pedir a prisão preventiva dos responsáveis. Quem se sentiu prejudicado pode recorrer ao Ministério Público.

As empresas autuadas, Ondina, BTU, Central, União e Barramar, têm cinco dias para questionar a decisão da Prefeitura. Nenhum representante dos empresários quis falar sobre o assunto.

Já o candidato da chapa derrotada para a eleição do Sindicato dos Rodoviários, Mário Kleber, apontado como organizador do protesto, disse que ainda não foi chamado para depor no inquérito policial e negou que tenha provocado a manifestação.
 
Retirado do site da TVBahia

Nenhum comentário: