sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Usuário saberá pela web a hora exata em que o ônibus vai passar

FOZ DO IGUAÇU - Em vez de ficar no ponto, sob sol e chuva, esperando indefinidamente, os passageiros poderão acompanhar do computador de casa, do trabalho ou mesmo pelo celular o momento em que o ônibus vai chegar e só então se deslocar. Em grandes cidades como São Paulo, com trânsito permanentemente problemático, ter essa informação hoje é praticamente impossível. Dependendo do grau de engarrafamento, muitas vezes passam três a quatro ônibus seguidos da mesma linha e pode-se esperar mais de hora até o próximo chegar.

A possibilidade de acompanhar o trajeto dos ônibus deve ser adotada ainda este ano em três cidades: Poços de Caldas, Foz do Iguaçu e Maringá, informa o coordenador do projeto da empresa Transdata Smart, Paulo Roberto Tavares, que desenvolve o trabalho com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

O chamado sistema embarcado de informação ao usuário de transporte coletivo foi inspirado em uma experiência européia. “Nosso objetivo é adaptar essa tecnologia à realidade brasileira e ampliar a quantidade de serviços oferecida”, informa Tavares.

O processo europeu custa R$ 17 mil por ônibus e no Brasil deve ficar em torno de R$ 5 mil, valor considerado baixo, segundo o especialista. A ideia é utilizar computadores convencionais adaptados para suportar as condições das viagens, com trepidação, calor e poluição.

O equipamento também pode contar com tecnologia de comunicação 3G, o que permitiria atualização de conteúdo em tempo real, e GPS para acompanhar o trajeto do veículo. Em viagens mais longas, por exemplo, o equipamento poderá exibir informações turísticas, indicações sobre as cidades no itinerário.

Tavares afirma que, além da comodidade para os passageiros, esse tipo de controle será vantajoso para as empresas, que podem acompanhar a localização de toda a frota em tempo real e enviar mensagens de texto em um painel à frente do motorista.

O equipamento será composto de três partes: a unidade de processamento, o painel de controle com o display de mensagens e os monitores de cristal líquido, instalados na cabine dos passageiros.

Com informações do Terra e AE

Nenhum comentário: