terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Aumento de ônibus: estudantes voltam a protestar nesta terça-feira

A ameaça veio em coro: “Se essa tarifa não abaixar, na volta às aulas a cidade vai parar”. Ontem, na primeira segunda-feira do ano, pouco mais de 400 estudantes iniciaram protestos contra o aumento da passagem de ônibus de Salvador, que entrou em vigor anteontem. Os manifestantes se reuniram em dois pontos durante a tarde. Às 10h de hoje, as interdições no tráfego devem se repetir. Em proporção bem maior, os manifestantes que fazem parte da Revolta do Buzu pretendem parar a Estação da Lapa.

Por volta das 14h,  os estudantes bloquearam por  40 minutos a saída da Estação da Lapa e depois seguiram para a Rótula do Abacaxi. Com faixas, cartazes e carro de som,  seguiram para estação de transbordo do Iguatemi às 15h30 - um percurso de quatro horas e meia, que deixou alguns  pontos da cidade congestionados. O trânsito lento, que começou na Rótula, chegou a atingir o início da BR-324, altura do Retiro. O reflexo foi sentido também por quem passava pelas avenidas Heitor Dias e Bonocô, sentido Iguatemi.

“Se querem resolver o problema, deviam ir para a porta da prefeitura”, bradou a universitária Aline Costa, 33 anos, que teve que seguir andando da Rótula para o Iguatemi, onde tinha uma consulta médica marcada.  “Sou a favor, mas poderia ser mais organizado”, disse a vendedora Maria Ângela Pereira.  “É um transtorno necessário”, declarou Ruan Philippe, 16 anos, diretor da Associação de Grêmios e Estudantes de Salvador (Ages) a respeito da insatisfação da população pelo protesto. 

No trajeto, manifestantes gritavam palavrões e picharam muros e ônibus com mensagens ofensivas ao prefeito João Henrique. Alguns motociclistas que tentavam furar o bloqueio pelas calçadas eram cercados pela multidão, contida em seguida por policiais militares que acompanhavam o movimento. Pouco depois de pararem a região do Iguatemi, por volta das 19h, os  manifestantes chegaram à estação de transbordo, onde permitiram que passageiros entrassem de graça pela frente dos ônibus.

Todo o movimento foi planejado virtualmente, através de comunidade no orkut e perfil no twitter. Os estudantes reivindicam a redução da tarifa de R$ 2,50 para R$ 2,30, o congelamento da passagem por dois anos;  reativação do Conselho Municipal do Transporte; fim da taxa de revalidação do SalvadorCard;  aumento dos pontos de recarga; transformação da Lapa em estação de transbordo e transporte público 24 horas.

Fonte: Correio

Nenhum comentário: