terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Fortaleza conhece experiências suecas de ônibus movidos a etanol e a eletricidade

O aumento da frota de veículos nos grandes centros urbanos tem trazido a reboque transtornos como congestionamentos nas vias públicas e o crescimento da poluição atmosférica. A solução apontada para atenuar o problema tem sido a diminuição da circulação de carros e adoção do transporte público como principal meio de transporte.

Para além da preocupação em viabilizar um transporte público que ofereça conforto próximo ao do carro particular, aliada a questão do tempo de deslocamento, porém, outro ingrediente começa a ser viabilizado pela tecnologia desenvolvida nas empresas fabricantes dos ônibus a serem utilizados em futuro próximo.

Este mês, durante a realização em Fortaleza do Seminário de Sustentabilidade Urbana Brasil / Suécia - SimbyoCity, promovido pela embaixada da Suécia e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam), experiências da Volvo e da Scania deram uma mostra da tecnologia dos ônibus ecológicos, que podem vir a estar circulando em breve pelas ruas brasileiras.

As experiências das empresas suecas foram apresentadas como parte do conceito de cidades sustentáveis desenvolvidas por aquele País e estavam incluídas no caderno de encargos da candidatura de Estocolmo às olimpíadas de 2004. Os jogos acabaram acontecendo em Atenas, mas o resultado levou a capital sueca a ampliar as iniciativas no sentido de reduzir a emissão de combustíveis fósseis. “Até 2030 vamos estar totalmente livres dos combustíveis fósseis”, afirma Ulf Ranhagen, executivo da embaixada da Suécia.

Em Curitiba
No Brasil, a experiência da Scania com o ônibus movido totalmente a biocombustível, utilizando o etanol, começa a ser implantada em maio na frota urbana de Curitiba. Em 2010, testes iniciais realizados em seis ônibus da cidade apontaram a redução de 30% no índice médio de monóxido de carbono e queda de 25% de fumaça expelida no ar.

Já a Volvo projeta para 2012 a implantação do ônibus híbrido, aliando tecnologia, economia de combustível e respeito ao meio ambiente. O primeiro modelo também deve rodar em Curitiba combinando um motor elétrico a um diesel.

Os testes iniciais apontam que a redução do consumo de combustível chega a 35% e a emissão de poluentes a 90%, já que em boa parte de sua utilização, o ônibus trafega em baixa velocidade ou é alimentado somente pelo motor elétrico, não emitindo gases nocivos ou ruído.


Quando

ENTENDA A NOTÍCIA
As cidades de Curitiba e São Paulo começam a implantar já em 2011 experiências de transporte coletivo ecologicamente aceitáveis, utilizando biocombustíveis ou modelos híbridos, como o motor elétrico

Nenhum comentário: