domingo, 25 de setembro de 2011

City Rio é considerado ônibus pirata pela Prefeitura

FOTO: RODRIGO SALLES - DIVULGAÇÃO


Eles se parecem com os ônibus panorâmicos de dois andares usados em cidades turísticas mundo afora, mas não são. Há sete dias, ônibus adaptados - com parte da carroceria removida para que os bancos fiquem ao ar livre - começaram a circular pelo Rio, oferecendo passeios turísticos da Barra ao Centro, passando por bairros da Zona Sul, a R$ 30 por pessoa. Vermelhos e chamativos como os tradicionais Sightseeing Tours do Reino Unido, atraíam centenas de turistas. Até sexta-feira. Segundo a prefeitura, o serviço é irregular. Por isso, determinou o recolhimento dos veículos. Um deles foi lacrado quando estava parado na Avenida Niemeyer, em São Conrado.

Segundo o secretário municipal de Turismo e presidente da Riotur, Antônio Pedro Figueira de Mello, o serviço era irregular por pegar passageiros no caminho, sem autorização municipal.

- Se estivessem oferecendo fretamento, tudo bem. São credenciados para isso. Mas vi passageiro entrando no caminho e pagando passagem. Isso é linha circular. Mandamos apreender os ônibus - explicou.

Anunciado na internet, o circuito funcionava em oito horários, de terça-feira a domingo e às segunda-feiras que coincidiam com feriados. O ponto de partida era a Rua Aquarela do Brasil, em São Conrado. Por telefone, atendentes da empresa informavam na sexta-feira que oito ônibus faziam o circuito de três horas e meia, passando por pontos turísticos como Pão de Açúcar, Corcovado, Igreja da Candelária e Arcos da Lapa.

A agência de turismo City Rio operava o circuito com veículos da transportadora Breda. Ambas funcionam no mesmo endereço, na Penha Circular, de acordo com os sites das empresas. As duas companhias pertencem ao mesmo grupo, segundo explicou o diretor-superintendente, Álvaro Lopes. Ele alega que o serviço é oferecido pela agência e, por isso, teria prerrogativa do Ministério do Turismo para operar, não precisando de autorização municipal.

- É uma operação legítima e um bom serviço para a cidade. Mas se a prefeitura acha que tem algo a legalizar, poderia conversar - afirmou.

Em nota, o Ministério do Turismo informou que autoriza as empresas a funcionarem apenas como transportadoras turísticas e que cabe às prefeituras autorizar agências de turismo a utilizar pontos de ônibus.

Já a Secretaria municipal de Transportes informou que o ônibus foi lacrado porque a empresa alterou suas características sem a devida autorização. Informou ainda que o motorista teria confirmado a fiscais a realização de roteiro turístico com hóspedes de hotéis da Zona Sul.

Segundo o secretário municipal de Turismo, a prefeitura teria sido procurada pela Breda em 2009 para renovar uma licença de dez anos para oferecer passeios turísticos. Mas o município não aceitou.

- Usavam ônibus comum, todo decorado com propaganda de refrigerante. Quiseram renovar com a promessa de melhorar o serviço, mas tiveram dez anos e não o fizeram - diz Antônio Pedro.

A polêmica surge num momento em que a Riotur se prepara para conhecer a empresa vencedora de uma licitação para oferecer passeios turísticos em ônibus de duplo deque, o que deverá acontecer em duas semanas. A ganhadora poderá explorar o serviço por dez anos e terá que pagar à prefeitura uma outorga de R$ 600 mil, além de assumir a operação de todos os postos de informação turística dos aeroportos, da rodoviária e de pontos turísticos, como Corcovado e Pão de Açúcar. A empresa terá ainda que fornecer todos os folhetos turísticos e guias feitos hoje pela Riotur. A CityRio e a Breda se inscreveram na concorrência, mas foram desclassificadas. A informação foi confirmada pelo diretor das duas empresas.

De acordo com o edital de licitação da Riotur, a tarifa limite do novo serviço será de R$ 60 por bilhete diário. Os pontos de parada serão delimitados e sinalizados, e os visitantes poderão usar os coletivos quantas vezes quiserem, dentro do prazo de validade. O novo transporte terá duas linhas, uma fazendo o circuito Barra da Tijuca- Zona Sul e outra realizando o trajeto Zona Sul- Centro. Se o turista optar pelo bilhete com validade de dois dias, ele terá desconto de 50% no segundo dia de passeio.

Fonte: Revista do Ônibus

Um comentário:

Rubenn Dean Paul Alws disse...

POR UM LADO ,EU CONCORDO COM A PREFEITURA,QUANDO FALAMOS DO GRUPO RIO DE JANEIRO " BREDA RIO " TUDO PODE ACONTECER.MAS POR UMA LADO QUANDO ELES QUEREM INVESTIR ELES FAZEM,ME LEMBRO QUANDO ELES ERAM OS MELHORES DO RIO DE JANEIRO.( CAPITAL ).MAS ELES TEM QUE PERDER SÓ O QUE ELES FAZEM COM OS USUARIOS,DAI VÊ O RETORNO,AINDA VEJOS A BREDA DIGO GRUPO BREDA PERDENDO SUAS EMPRESAS E LINHAS ISSO AINDA VAI ACONTECER.CLARO SE ELES NÃO MUDAREM SUAS IDEIAS DE QUE OS PASSAGEIROS ,NÃO TEM VALOR.MAS CONCORDO COM A PREFEITURA.TEM QUE MUDAR.AGORA VAMOS VÊ O QUE ELES VÃO COM SUAS CARRETAS QUE ELES COMPRARAM.QUEM VIVER VERÁ.DALLY BREDA RIO GRUPO RIO DE JANEIRO.