segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Marcopolo e Caio Induscar procuram terrenos em Joinville

Empresa formada através de parceria entre os dois grupos quer investir R$ 110 milhões na cidade

A joint-venture criada pela Marcopolo e pela Caio Induscar, as duas maiores fabricantes de carrocerias de ônibus do Brasil, está mirando o Norte de Santa Catarina para instalar uma planta para produzir de carrocerias de ônibus para o exterior e peças e acessórios para o mercado interno.

Um consultor da empresa que está sendo formada esteve reunido nesta terça com o prefeito Carlito Merss, secretários e integrantes da Associação Empresarial de Joinville (Acij).

Na pauta, o pedido de ajuda para a Prefeitura encontrar terrenos que possam sediar a unidade, A previsão é que a parceria entre os dois grupos injete R$ 110 milhões na nova empresa, que começaria a produzir a partir de 2014. A expectativa é que sejam criados pelo menos 2,5 mil postos de trabalho.

Segundo o relato do prefeito, o objetivo da vinda do grupo para Joinville é aproveitar a mão de obra ociosa desde a crise da Busscar.

— Nós temos milhares de trabalhadores com anos de experiência no setor e que estão parados. É uma grande chance para que a cidade recupere o seu lugar de destaque no setor —, afirma.

Carlito conta que uma consultoria local auxilia as duas empresas nas negociações. A Prefeitura está oferecendo apoio para os estudos da legislação municipal e poderá conceder incentivos fiscais pelo programa Pró-Empresa.

Além da disponibilidade de mão de obra, outro ponto que atrai o interesse dos investidores para a região Norte é a proximidade de cinco portos – Paranaguá, Itapoá, São Francisco do Sul, Navegantes e Itajaí.

A Caio Induscar informou que o processo de formação da joint- venture corre em sigilo. Já, a Marcopolo afirma que o grupo ainda não escolheu qual local abrigará a nova empresa, e que o prazo de entrega do estudo de viabilidade econômica da parceria, que deveria ser divulgado em meados de janeiro, foi prorrogado até o começo de março.

Ao fim do período, as duas empresas deverão detalhar para o mercado quais produtos serão fabricados, onde a unidade será instalada e como funcionará a sua gestão.

Nenhum comentário: