sábado, 3 de novembro de 2012

Investimento em mobilidade na capital paranaense

Destacado por priorizar os transportes públicos com corredores de ônibus do tipo BRT – Bus Rapid Transit e com estações-tubo que permitem o embarque em nível e oferecem mais conforto para o passageiro que aguarda a condução, o sistema de Curitiba e Região Metropolitana precisa passar por ações de modernização.

 

Entre as prometidas pelo poder público, estão avanços tecnológicos para informações aos passageiros e controle do sistema.

 

Até 2014, ano da Copa do Mundo, Curitiba, que é uma das cidades-sede de alguns jogos, vai investir R$ 60 milhões em soluções como GPS nos veículos, salas de controle operacional e semáforos com sensores que identificam a passagem dos ônibus.

O GPS vai permitir que o passageiro possa a ter informações sobre a localização dos veículos, previsão de chegada à parada nos pontos e itinerários. Será possível também calcular o tempo de percurso de cada uma das linhas do sistema. Além disso, os controladores da prefeitura e das empresas de ônibus podem saber os motivos de atrasos e criar um banco de dados para futuras alterações quando os problemas forem reincidentes.

Com câmeras espalhadas pela cidade, os técnicos da prefeitura e da Urbs – Urbanização de Curitiba S.A. conseguem ter informações em tempo real sobre o trânsito na cidade e até mesmo orientarem pequenas alterações nos itinerários para evitarem atrasos nas viagens.

 

Por painéis nas estações, os motoristas podem receber as orientações sobre os eventuais desvios de rotas. Também por equipamentos eletrônicos, os motoristas podem comunicar à central possíveis problemas mecânicos para reparos na rua mesmo, quando for possível, sem necessidade de parar o ônibus por muito tempo.

 

Passageiros, poder público e empresas não querem ônibus parado. É perda de tempo, conforto e também de receitas.

 

Por isso mesmo, a intenção é aumentar a velocidade operacional dos ônibus, que já é considerada boa por causa dos corredores exclusivos. Os sensores que detectam o peso e o tamanho dos ônibus vão emitir sinais para os semáforos que devem se abrir e dar prioridade ao transporte coletivo em cruzamentos.

 

Até 2014, de acordo com a Urbs, pelo menos 2 mil ônibus devem prestar serviços na Capital Paranaense.

Fonte: blog ponto de ônibus

Um comentário:

Anônimo disse...

Pena que tudo isso não vai sair do papel